sexta-feira, 18 de março de 2016

EXPEDIÇÃO YAYÚ 2016!!


Segue vídeo do passeio ciclístico da EQUIPE PEDAL DA SERRA pelas muitas trilhas do YAYÚ!!

terça-feira, 8 de março de 2016

A SINALIZAÇÃO DO ECOPEDAL TALHADO 2016 - EXPEDIÇÃO YAYÚ.


Na linguagem técnica, sinalização de uma trilha serve para que pessoas estranhas aquele ambiente consigam transitar pelo local sem nenhum problema mais sério, e principalmente não se perca;

A sinalização distribuída pela trilha do ECO PEDAL TALHADO 2016  - EXPEDIÇÃO YAYÚ se divide basicamente em placas de sinalização em PVC com indicação de direção e bandeiras de TNT vermelhas dispostas em sequência para confirmar a indicação da seta e tranquilizar quem está na trilha;

Vamos começar com a sinalização direcional com placas de PVC:


Como o percurso é muito longo resolvemos colocar uma marcação em todo local que houver possibilidade de dúvida na trilha. Ou seja, em todas as bifurcações, mudanças de direção ou em trechos em que a trilha esteja mal definida por mato fechado, riachos ou córregos;


Nas bifurcações, a sinalização direcional sempre terá uma placa de PVC  com a seta indicando o lado a seguir, mas SEMPRE constará também fitas de TNT  vermelhas confirmando o indicado na placa e o lado para o qual o ciclista tem que seguir. Assim, por exemplo, se o ciclista deve pegar a trilha para a esquerda, a sinalização de TNT segue apos a placa na trilha da esquerda.



A sinalização direcional de uma trilha tem dois objetivos básicos que é indicar a direção correta aos visitantes, evitando que se percam, além claro de facilitar ações de manejo do interesse da organização, como segurança, ambulância, respeito ao meio ambiente e respeito as propriedades privadas.



A sinalização Confirmatória – É aquela que, logo após uma bifurcação ou mudança de direção confirma que o PARTICIPANTE escolheu a opção correta, pois após a marcação do lado em que deve seguir, logo a frente existe uma confirmação da trilha, NO CASO SETA A ESQUERDA, TECIDO VERMELHO INDICA A CONFIRMAÇÃO;


Sinalização confirmatória:

SEMPRE haverá uma sinalização confirmatória logo após uma bifurcação ou mudança brusca de direção já dentro da opção correta de trilha a ser seguida, mas ainda visível para quem está na bifurcação e ainda não escolheu o caminho que vai seguir. Sua função, como o nome diz, é assegurar ao caminhante qual é o caminho certo. Em outras palavras, a sinalização confirmatória confirma o que a sinalização direcional já apontou e deverá ser seguida, assim evitando que mesmo pessoas mal intencionadas virem a seta da placa você ainda terá uma noção de esta indo no caminho certo, pois seguirá a confirmação que só existirá do lado certo;

                                        


                                        

Sinalização Calmante – É aquela que de tempos em tempos reassegura ao ciclista que  o mesmo está no caminho correto. Portanto em oposição, sempre que  o ciclista pedalar por alguns quilômetros e não ver uma sinalização calmante, saberá que errou o caminho e deverá retornar até encontrar a última sinalização e voltar à trilha certa;


SINALIZAÇÃO CALMANTE 

SINALIZAÇÃO CALMANTE EM SEGUIDA

A princípio todos que irão participar do ECOPEDAL TALHADO 2016 poderiam pensar que a sinalização direcional colocadas em encruzilhadas seria o bastante, porém a prática de outros eventos organizados por nós da EQUIPE PEDAL DA SERRA já mostrou que esse procedimento não é suficiente. Muitos participantes desses passeios ciclísticos não têm grande experiência em ambientes naturais e é comum não verem a marcação em bifurcações, o que os leva a se perderem. A sinalização calmante serve para assegurar aos participantes do ECO PEDAL TALHADO - EXPEDIÇÃO YAYÚ  a certeza que ele está no caminho certo. 



A EQUIPE PEDAL DA SERRA percorreu por varias vezes esse percurso de 51 km de extensão, mapeando e selecionando os lugares críticos e necessários para sinalização e garanto que estão exaustivamente sinalizadas nas mudanças de direção, bem como com bandeiras vermelhas amarradas a galhos de árvores onde,  ao visualizar uma bandeira dessa quase que instantaneamente visualizará outra bandeira vermelha logo em seguida, por isso caso aconteça de algum ciclista percorrer cinco minutos de trilha e não encontrar nenhuma sinalização de placas, bandeirolas vermelhas ou ate mesmo pinturas saberá que precisa retornar pelo mesmo caminho que veio, pois não está na direção correta.

Por isso aproveitem o pedal e sigam a sinalização sem medo de errar porque ela levará aos lugares certos sem nenhuma dor de cabeça!!



sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

DICAS PARA PARTICIPAR DO ECOPEDAL TALHADO EXPEDIÇÃO YAYÚ

Todos os anos publicamos em nosso blog as melhores dicas para os participantes do encontro de ciclistas denominado ECOPEDAL TALHADO,  nesse ano, especialmente no trecho EXPEDIÇÃO YAYÚ!!

1 - Gostaria de solicitar a todas as equipes que se possível tragam suas camisas de grupo ou turma para que fiquem bem representados na hora da entrega dos kit´s; 

2 - A entrega será feita no BRASART (vizinho ao posto LIBERALINO) a partir das 17 horas do sábado, tudo com calma, tendo em vista que os kit´s estarão separados por cidades em sacolas individuais, portanto se cada um esperar recebe o seu tranquilo;

3 - Aqueles que ainda não enviaram os comprovantes de pagamento só receberão os kit´s após a comprovação do pagamento, ou a realização  do mesmo no ato;

4 - As turmas serão chamadas uma a uma para recebimento dos kits e comprovação de pagamentos, portanto não adianta pressa, melhor esperar e receber seu kit na tranquilidade;

5 - O café da manhã será servido dentro do BRASART a partir das 5:00 da manhã, seguido de um série de alongamentos, uma pequena oração feita por um ciclista a ser escolhido na hora e a foto oficial com todos os ciclistas em uma única foto;

6 - Saída por volta das 6 da manhã com destino a região do YAYÚ, sendo primeiro ponto de apoio aos 10 km, o segundo ponto na altura do km 20, sendo logo em seguida o percurso dividido em duas distâncias, tendo o terceiro ponto de apoio no km 30 pra que fizer o percurso maior, voltando a se encontrar no ponto de apoio  móvel onde todos passarão, tendo o último ponto de apoio sendo comum a todos os participantes;

7 - Sigam corretamente as instruções das placas e das pinturas que não tem como errar ou se perder, e principalmente lembrar que setas vermelhas requer muita atenção e amarela um mínimo de atenção para evitar acidentes;

8 - O percurso conta com carros de apoio e uma ambulância móvel para pequenos ferimentos e atendimentos rápidos, ficando ambulância do SAMU  de prontidão caso necessite, por isso ciclistas não vamos dar motivos par ela ser usada;

9 - Prestar bastante atenção por que iremos cruzar a  rodovia BR 230  por duas vezes, com tráfego intenso;

10 - Após a chegada vocês devem seguir para o mesmo ponto da saída, ou seja BRASART;

11 - Aquelas pessoas que vem acompanhando os ciclistas e quiserem comer junto ao pessoal do evento deverá adquirir suas pulseiras no BRASART  ao custo de R$ 10,00 (dez reais) - ATENÇÃO SÓ TEM ACESSO AO BUFFET QUE TIVER PORTANDO A PULSEIRA DE IDENTIFICAÇÃO;

12 - Em caso de dúvidas no dia procurar as pessoas com as camisas de organização e apoio que serão de cor branca devidamente identificada com a logomarca do evento;

13 - NÃO ESQUECER OS ITENS DE SEGURANÇA COMO CAPACETE, LUVAS, ÓCULOS, KIT DE REMENDOS, além claro de itens como garrafinhas de hidratação, shorts ou preferencialmente calças de ciclismo, entre os itens que julguem necessários; 

14 - Desde já, nós que fazemos a equipe pedal da serra,  desejamos a todos os 240 inscritos que vão participar do evento um ótimo passeio.

ATÉ BREVE!!!


AGRADECE:




sábado, 6 de fevereiro de 2016

INSCRIÇÕES PARA O ECO PEDAL TALHADO - EXPEDIÇÃO YAYÚ - FAÇA JÁ!!!




QUEM AINDA NÃO FEZ AS INSCRIÇÕES É SO CLICAR NO LINK ABAIXO, IMPRIMIR, PREENCHER A FICHA E ENVIAR COMO UMA FOTO PARA UM DOS WHATSAP DOS ORGANIZADORES, PORQUE ALEM DA FICHA DE INSCRIÇÃO TAMBÉM É UM TERMO DE RESPONSABILIDADE DE QUE O INSCRITO TA EM CONDIÇÕES DE FAZER O PERCURSO;


O PRIMEIRO PEDIDO SERÁ FEITO NA PRÓXIMA SEXTA FEIRA DIA 12 DE FEVEREIRO DE 2016, POR ISSO ASSEGURE A SUA JA NO PRIMEIRO LOTE, POIS DEPOIS SÓ SERÃO FEITOS PEDIDOS COM LOTES DE 30 CAMISAS;

FAÇA JÁ SUA INSCRIÇÃO!!!!


CONTATOS:

PETRONIO NOBREGA – petnobrega@hotmail.com
TELEFONE: (83)  - TIM  999121035 WHATSAP   TIM 996533458

JOSEMAR MEDEIROS medeirosjosemartst@gmail.com
TELEFONE: (83) 998022979 ( 83)  WHATSAP  93642424

JOÃO PAULO pauloslpb@hotmail.com
TELEFONE: (83) 999097809 WHATSAP




QUALIDADE ACIMA DE TUDO!!! NOSSA FRUTA BRASIL - EMPRESA PARCEIRA

A empresa NOSSA FRUTA BRASIL é uma Indústria de polpa de frutas que vem ampliando seus horizontes e trazendo uma gama de produtos de qualidade para abastecer o comercio  dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Nasceu em 2008 com o intuito de desenvolver a região e aumentar a renda familiar dos produtores através do incentivo a fruticultura e seu beneficiamento;

A NOSSA FRUTA BRASIL acredita que pode melhorar a vida das pessoas por meio de projetos socialmente responsáveis e sustentáveis, que gerem valor para parceiros e nossa cadeia produtiva tendo como missão produzir produtos saudáveis que proporcionem bem-estar e momentos prazerosos na vida dos nossos consumidores.

Diante desse pensamento de apoiar PROJETOS SUSTENTÁVEIS E SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS resolveu por apoiar o PROJETO DO ECO PEDAL TALHADO - EXPEDIÇÃO YAYÚ 2016 com toda a linha de produtos que fabrica, contribuindo com uma degustação de seus produtos na forma de sucos de polpas de frutas congeladas em 11 sabores, e estará presente no café da manhã, na trilha e nos pontos e apoio com um produto de muita qualidade e refrescância  para todos que participarem!!!!

Para saber mais sobre a Nossa Fruta Brasil, acesse www.nossafrutabrasil.com.br ou acompanhe nas redes sociais (Instagram –https://instagram.com/nossafrutabrasil/ e Facebook – www.facebook.com/nossafrutabrasil)

sábado, 23 de janeiro de 2016

A TRILHA E SUAS VANTAGENS!!!

O ciclismo em suas modalidades não é modismo como alguns afirmavam e o mountain bike é um movimento sem volta em contrapartida a vida estressante das cidades.


Quase todo mundo passa por um verdadeiro rito de passagem ao iniciar suas pedaladas na cidade entre carros e motos, e logo vêem uma necessidade de se libertar e cair na trilha como uma válvula de escape;



Diante dessa possibilidade de cair na trilha que é o que acontece com a grande maioria dos ciclistas segue algumas pontos positivos de desfrutar uma boa trilha:



1 -   O ar limpo e a ausência de poluição sonora e visual  dá a sensação de liberdade e faz com que deixe o estresse para trás, enxergando as paisagens de outra maneira e chega a lugares inacessíveis a maioria dos transportes;






 2 - Como o piso normalmente é irregular, você passa por buracos, caminhos sinuosos, subidas e descidas - e tudo na terra, areia e pedra - a modalidade exige um bom preparo físico. Tamanha dificuldade pode desestimular muitos aspirantes logo na primeira tentativa, porém um iniciante deve reconhecer suas limitações e optar por começar com desafios mais simples, em trilhas com menos relevo e ir aumentanto aos poucos;


Por ser um passeio ao ar livre, o mountain bike está à deriva de calor e frio excessivo, além, é claro, da chuva. Tanto Paulo quanto Lucas não costumam pedalar em dias chuvosos, mas contam que durante diversas trilhas foram surpreendidos por verdadeiros dilúvios. Nessa hora, o jeito é vestir a capa de chuva e encarar a trilha. 
Vale lembrar também que, por conta desse maior esforço, a queima de calorias é superior a um passeio de bicicleta no asfalto.






3 -  Um bom equipamento para o uso em trilha se faz necessário com uma bicicleta adequada para o mountain bike fabricada com característica e acabamento reforçado adequado para suportar grandes impactos  causados nas trilhas, além claro do uso de capacete, óculos, luva, bermuda com forro (para evitar que o banco machuque) e roupas leves que, de preferência, chamem a atenção de motoristas de carro, para evitar acidentes;

Vale lembrar afinal que pedalar com uma bike de tamanho e design adequados para manobras é uma questão de segurança, pois são muito exigidas em descidas e situações imerentes ao esporte;





4 - Fazer trilhas sozinho pode ser muito perigoso, pois corre o risco de se machucar e não ter qualquer pessoa para dar suporte, por isso ideal é sair em grupos de pelo menos três pessoas, pois, caso ocorra algum acidente, um dos integrantes poderá ficar com a pessoa machucada e sem contar que uma das grandes motivações do esporte é o companheirismo entre os participantes.



5 - Antes de sair para uma trilha, principalmente par lugares de difícil acesso ajuste a altura do banco para não acordar no dia seguinte com dores nas costas, cheque se as rodas estão bem fixadas, veja se as marchas estão funcionando corretamente e calibre os pneus. Também é importante levar a bicicleta para revisão regularmente para que a visita ao lugar desejado não se transforme em uma dor de cabeça;



Portanto caso você ainda esteja em duvida  entre passear pelas ruas de sua cidade ou cair em campo e curtir uma bela trilha, vá em frente pois só sabe se vai gostar aquele que vai para a trilha, mas ja adianto que é dificil não gostar!!!  






sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

TRILHAS DO LITORAL AO SERTÃO E SUAS PARTICULARIDADES

Em quase todas as regiões do Brasil tem pessoas pedalando, isso é fato. Como nosso país é muito grande e diversificado em relevo, clima e vegetação temos em todos os ENCONTROS /PASSEIOS  de ciclistas uma verdadeira e saudável guerra de qual seria a melhor trilha para pedalar.

Em alguns pedais que participei, verifiquei essa diversidade e observei as particularidades de todos, devendo ser respeitadas as nuances e curtidas as  diferenças e oportunidades que temos de pedalar em trilhas com vegetação, relevo e clima que não estamos acostumados;

Os pedais em João Pessoa e no litoral em geral, são planos, quase sempre em asfalto (pelo menos os que fiz) e transfere ao ciclista uma sensação de quantos mais se anda, mais se pode andar em face da regularidade do piso, relevo e da facilidade de se refrescar no mar por quase todo o percurso litorâneo; Pedais agradáveis e de dificuldade moderada, pelo menos na minha opinião.

 

No brejo, dai inclua, Guarabira, Solânea e Bananeiras a coisa muda de tom. O clima mais ameno refresca muito os participantes, porém cobra muito em suas subidas e seu terreno normalmente instável em face das chuvas que normalmente frequentam aquela região que por seu clima, por si só revela agradáveis pedais; Trechos muito diversificados que passam do agradável ao muito duro com muita sutileza.
 

No mesmo nível encontrasse os pedais na zona da mata, como pedais na região de Sape e Juripiranga que apesar de chover muito e suas trilhas serem carregadas de barro não tem tantas subidas, porém o clima abafado e umidade altíssima dificultam, pelo menos para mim sertanejo acostumado ao ar mais seco; O clima abafado me desgastou demais, mas é gratificante e difícil, assemelha-se aos pedais do brejo.


 


Chegando ao sertão, tive como batismo o PEDAL DO PICO DO JABRE, com saída de Patos rumo ao pico mais alto da Paraíba, e nos dois anos que participei, foi um misto  de superação pelas fortes subidas que ali existe e o prazer em ter aquela visão maravilhosa. Lá de cima,  em virtude da altitude tem um clima mais suave, apesar de ser sertão;
 

Na mesma ótica, apesar de não ter participado do ECO PEDAL TALHADO como ciclista, mas ter feito o percurso inúmeras vezes como organizador, o evento mostrou quão pode ser prazeroso os pedais de serra, realizando a real prática do MOUNTAIN BIKE com subidas extenuantes, seguidas de visual de tirar o fôlego e muita adrenalina ao descer por trilhas usadas por escravos do quilombo do TALHADO  que, si só por ter sido um refugio para escravos foragidos já demonstra as dificuldades do acesso; Esses dois passeios, em virtude do seu relevo mais acentuado transfere aos seus participantes a adrenalina do mountain bike!!!

 
Do sertão, saio para um pedal no alto Sertão da Paraiba, mais precisamente na cidade de Cajazeiras e a subida da Serra do Vital. O clima e o relevo se juntaram em uma irmandade de dificuldades que, por ser sertanejo pensei que seria mais fácil encarar, vindo a sofrer muito com alta incidência solar e um calor de correr doido e a subida da serra do Vital que não é coisa de Deus, principalmente por ser no fim do percurso; Na minha opinião foi o passeio mais duro que já participei dada as condições climáticas da região, mas que valeu a pena por sentir os que os companheiros daquela região sentem ao pegar a sua bike e sair pra pedalar todos os dias;




Por isso, fica claro que a intenção não é de dar nota, quantificar ou qualificar eventos ou organizações e sim de demonstrar, sempre na minha ótica quão diversificado pode ser os passeios e suas particularidades, que apesar de diferentes são sempre gratificantes!!!

ESPERO TODOS DIA 13 DE MARÇO DE 2016 PARA CONHECER AS PARTICULARIDADES  3º ECOPEDAL TALHADO 2016 - EXPEDIÇÃO YAYÚ!!!